VETNIL ORIENTA COMO MANTER O BEM-ESTAR DO SEU PET DURANTE AS FÉRIAS

Compartilhe este post

As férias estão chegando e muitos tutores não sabem o que fazer com o seu filho de quatro patas, nesse período do ano. A Vetnil alerta os tutores e responsáveis para os cuidados que devem ter qualquer que seja sua escolha: deixá-lo em casa, em um hotelzinho ou levá-lo para viajar com a família.

Para a médica-veterinária da Vetnil, Fernanda Cioffetti, se a decisão for viajar sem ele, melhor escolher um local de confiança, como um hotel para cães e gatos ou deixá-lo em casa sob os cuidados de uma pessoa experiente, como os pet sitter, ou de um parente ou amigo, que tenha familiaridade com seu animal. No caso dos gatos, deixá-los em casa é a melhor opção, por eles serem mais caseiros e se estressarem facilmente com a mudança de ambiente e rotina. “A decisão de hospedar o pet em um hotel ou pet shop, não deve ser tomada sem antes pesquisar as melhores opções e verificar como os animais são tratados, o espaço em que eles ficam etc. Vale pesquisar referências na internet e procurar recomendações de amigos e familiares sobre locais que tenham tido boas experiências”, orienta.

Se a decisão for levar o pet com você para a viagem de férias, essa experiência pode ser muito agradável, mas alguns
cuidados importantes devem ser seguidos. “É importante sempre consultar um médico-veterinário para verificar
como está a saúde do animal, se as vacinas e a vermifugação estão em dia. Se o destino for praia, vermifugue o pet
também na volta. Outra orientação é perceber o nível de estresse do pet durante a viagem de carro ou avião e se essa mudança de ambiente afetou o aparelho digestivo do animal. Se sim, é importante ministrar suplementos que contenham vitaminas, aminoácidos e elementos pró e prébióticos, para auxiliar no reestabelecimento do equilíbrio da microbiota intestinal”, complementa Fernanda.

Se a viagem for de carro, realize paradas ao longo do percurso para atender às necessidades básicas de seu pet, como urinar, beber água e se alongar. Além disso, é preciso seguir algumas regras para transportar o seu pet. Segundo o Código Brasileiro de Trânsito é proibido transportar animais na área externa do veículo, como caçambas. “Ele precisa estar seguro no banco de trás do carro, em caixas de transporte ou com cintos de segurança para pets, ou ainda, em cadeirinhas próprias”, recomenda a médica veterinária.

Caso opte por viajar de avião, a grande maioria das companhias aéreas está preparada para receber animais domésticos, mas é aconselhável verificar as regras. Para destinos internacionais, é necessário entrar em contato com o consulado do país para saber todos os documentos exigidos para transportar o pet. Obrigatoriamente, o tutor precisará providenciar o Certificado Veterinário Internacional ou o Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos, documentos que comprovam que  animal atende às exigências sanitárias do país de destino. Esses documentos são emitidos, gratuitamente, pelo Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

“Para tornar a viagem ainda mais tranquila e segura, não se esqueça de usar uma coleira de identificação ou um microchip, com nome do pet e telefone do tutor ou pessoa responsável. Para as viagens internacionais, principalmente, para os países europeus é exigido o uso de microchip nos pets”, finaliza Fernanda.

Dicas Vetnil

  • Vetmax Plus da Vetnil é um vermífugo de amplo espectro que combate os nematódeos (vermes redondos) e os cestódeos (vermes chatos) gastrointestinais de cães e gatos. Esse produto pode vir em formato líquido e em comprimidos. Deve ser ministrado conforme o peso do animal e a dose deve ser repetida caso necessário, após 15 ou 30 dias, ou a critério do médico-veterinário.
  • Organew Pasta Pet é composto por vitaminas, aminoácidos e elementos pró e prébióticos, auxiliando no desenvolvimento e manutenção de uma microbiota intestinal saudável. Indicado para pets em crescimento, o produto tem Betaglucanos que ajudam na defesa da parede do intestino. Possui também leveduras vivas, FOS (Fruto-oligossacarídeos) e MOS (Mananoligossacarídeos), que auxiliam no desenvolvimento e manutenção da microbiota intestinal saudável, contribuindo para a melhora da digestibilidade dos nutrientes da dieta e o aumento da eficiência alimentar. Uso via oral, fornecido diretamente na boca do animal. Cães: 2g para cada 10kg de peso vivo, 1x/dia. Gatos: 1g para cada 10kg de peso vivo, 1x/dia.

Mais informações: www.vetnil.com.br

Compartilhe este post